Trabalhadores e estudantes vão às ruas neste sábado em defesa da vacina para todos

Trabalhadores e estudantes vão às ruas neste sábado em defesa da vacina para todos

Foto: CUT/RS

Em Porto Alegre, mobilização já começou na quarta-feira, 26, com banners nas passarelas e viadutos e até marcha fúnebre

Foto: CUT/RS

As frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, com a participação de centrais sindicais, movimentos sociais, entidades de estudantes, organizações de bairros e torcidas organizadas promoverão neste sábado, 29, uma grande mobilização em todo o país em defesa da imunização da população para a covid-19 e do auxílio emergencial de R$ 600,00; e contra a reforma administrativa e as privatizações.

Com vários itens, a pauta do chamado #29M tem como palavra de ordem o “fora Bolsonaro”, fortalecimento dos trabalhos da CPI da Covid no Senado e a luta pelo impeachment.

São mais de 100 organizações convocando a manifestação. Também parlamentares da esquerda convocaram suas bases. “Quando o presidente é mais perigoso que o vírus, o povo precisa ir às ruas! No próximo dia 29 mostraremos nossa indignação, usando máscaras e respeitando as medidas de segurança”, afirmou o deputado federal Ivan Valente (PSol/SP). “O Brasil não aguenta mais o governo genocida de Jair Bolsonaro. É hora de sairmos às ruas”, convocou o deputado federal Paulo Pimenta (PT/RS) em sua página no Facebook. “Com todos os cuidados, usando máscara, álcool gel, garantindo o distanciamento, mas tomando as ruas de todo o país para dizer em alto e bom som: Fora Bolsonaro! Queremos a vacina no braço, a comida no prato”.

A mobilização, segundo Nota da Central Única dos Trabalhadores (CUT), está sendo organizada com todas as medidas da prevenção e cuidados sanitários possíveis, de forma que não provoque aglomerações e exponha militantes e trabalhadores ao risco de infecção de covid-19.

A União Nacional dos Estudantes (UNE) aprovou convocação para a manifestação #29M – um dia de protesto contra os cortes de recursos no setor de educação. “Ocuparemos as ruas, com todas as medidas sanitárias necessárias, para denunciar os ataques do governo Bolsonaro à educação pública e sua política da morte”, afirma a vice-presidente da UNE, Élida Elena.

A ideia, segundo a UNE, é reviver o tsunami da educação que em 2019 marcou a história do movimento estudantil, levando milhões às ruas em todos os estados do Brasil, pressionando o governo e fazendo ele recuar dos cortes nas universidades.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, a concentração será realizada, às 15 horas, em frente à Prefeitura, seguida de uma caminhada pelas ruas do centro da Capital.

“O momento exige que voltemos às ruas, com todos os cuidados sanitários recomendados, para levantar a nossa voz contra o governo genocida do Bolsonaro e os seus seguidores nos estados e municípios, a fim de defender a saúde e a vida da população”, destaca Amarildo Cenci, presidente da CUT/RS. “O país já acumula 456.753 vidas perdidas desde o início da pandemia, segundo balanço do consórcio de imprensa. O RS já contou 27.868 mortes em função da doença”.

O ato de Porto Alegre também aposta na unidade entre trabalhadores e estudantes. “Temos uma boa mobilização e adesão aqui porque entendemos o momento complicado e que é necessário ir às ruas. Foi feito um levantamento aqui nas universidades do Estado e várias comentaram que não veem muita perspectiva caso os cortes continuem. Em Porto Alegre em especial também na UFRGS temos a luta contra a intervenção, temos um interventor do Bolsonaro que tem feito vários desmandos. Então vamos para a rua também para defender a autonomia universitária”, destacou a vice da UNE/RS, Gabriela Silveira.

Centrais Sindicais e movimentos sociais iniciaram a mobilização em Porto Alegre na quarta-feira, 26, com a distribuição de faixas e marcha fúnebre até a frente da prefeitura municipal.

Manifestações no RS

Alegrete – Calçadão | 15h

Canoas – Praça do Avião | 13h30

Capão da Canoa – Prefeitura | 15h

Caxias do Sul – Praça Dante Alighieri | 15h

Erechim – Esquina Democrática | 15h

Gravataí – Parada 66 (Em frente ao Veterano) | 10h

Ijuí – Praça dos Imigrantes | 15h

Lajeado – Parque dos Dick | 15h

Novo Hamburgo – Praça Punta Del Este | 10h

Osório – Manifestação e Carreata – Praça da Matriz | 15h

Passo Fundo – Praça da Mãe | 8h

Pelotas – Largo do Mercado | 10h

Porto Alegre – Prefeitura | 15h

Rio Grande – Dr. Pio | 11h

Rolante – Rua Coberta | 11h

Sapiranga – Carreata até Nova Hartz | 10h

Sapucaia do Sul – Calçadão | 13h

Santa Cruz do Sul – Parque da Oktoberfest | 15h

Santa Maria – Praça Saldanha Marinho | 10h

Santa Vitória do Palmar – Em frente ao Correio | 15h

São Leopoldo – Marco Zero | 9h

Taquara – Rua Coberta | 9h

Tramandaí – Prefeitura | 15h

Viamão – Praça da Prefeitura | 10h

Xangri-lá – Prefeitura | 15h

Fonte: extraclasse

Leia Mais:

vacina já - sisma-mt

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *