endossada pelo centrão e outras máfias políticas que dominam o covil parlamentar para cassar o deputado.
Imagem

A frase “Imunidade não é impunidade” não é de autoria de Manuela, ele foi dita por Carmen Lúcia ao mandar prender o senador Delcídio do Amaral, do PT.

Isso quando a prisão do deputado, do ponto de vista dos princípios jurídicos, é tão grave quanto o AI-5, ainda que não tenha a mesma abrangência.

Equivale a dizer que nem mesmo os deputados têm liberdade para sequer falar aquilo que não seja de agrado dos ditadores do judiciário e da grande burguesia que controla o Tribunal.

Isso poucos dias depois que, esses. Muitos setores progressistas falaram que a Câmara deveria ser “independente” de Bolsonaro e por isso votaram em Baleia Rossi (MDB-SP), para presidi-la. Agora, apoiam a submissão do legislativo ao judiciário e aplaudem o STF

O que está em questão não são as imbecilidade proferidas pelo deputado, mas o direito dele e de qualquer outro de emitir sua opinião, e não ser perseguido por isso. Se isso pode ser feito contra uma deputado direitista o que não poderá ser feito contra um deputado da esquerda que se posicione contra a ditadura do judiciário ou contra qualquer membro de outro poder.

A arbitrariedade contra o parlamentar, legalmente representante de milhares de cidadãos, mostra que nenhum cidadão tem direitos garantidos no atual regime político. Se vale para ele, o que não poderá ser feito, e se faz cotidianamente contra os trabalhadores, negros etc.

A função do parlamentar é justamente é expressar sua opinião sobre os assuntos da sociedade, sobre os outros atores públicos, e isso deve ser protegido a qualquer custo.

A esquerda assina embaixo a deturpação de que a democracia, significaria respeitar as instituições, mesmo as mais carcomidas do regime político. Isso é ditadura, fascismo. Com isso, imitam o nazismo para quem o indivíduo tem que respeitar o Estado, obedecê-lo, acima de tudo. Isso é o oposto da democracia, que deveria significar que o Estado respeite a lei, os direitos do povo, e que através dele, o povo governe.

A esquerda parlamentar encobre a ditadura em vigor por meio de apelos morais; tenta ocultar a realidade com frases e adota uma Política profundamente reacionária.

Ao contrário disso, é preciso exigir a imediata libertação do deputado Daniel Silveira imediatamente. Sua prisão é ilegal e arbitrária, o arbítrio não é apenas contra ele mas contra o parlamento e contra todo o povo brasileiro.

Vale lembrar que os togados que aprovaram a prisão do deputado alegando que ele atenta contra o regime “democrático” são os mesmo que se curvaram e violaram a Constituição para manter preso o ex-presidente Lula, diante das ameaças dos militares que ameaçaram usar as forcas armadas contra qualquer decisão do STF, em aberta afronta a Constituição.