Presidente eleito acolhe recomendação da comissão de Saúde e vai fechar Assembleia

Um dos primeiros atos do novo presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Max Russi (PSB), eleito ontem em votação extemporânea determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), será o fechamento da Casa, por tempo ainda não informado, a partir de quinta-feira (25). A decisão é motivada por uma recomendação da Comissão de Saúde do parlamento estadual, presidida pelo deputado e médico Doutor Eugênio, que detectou um novo surto de Covid-19 entre servidores e parlamentares.

A decisão foi confirmada ontem logo após a confirmação da eleição de Russi e a decisão, informou o novo presidente, foi praticamente unânime entre os deputados. “O desafio deste momento é a pandemia. Agora a Assembleia vai ficar alguns dias fechada até diminuir isso aí [casos de contaminação entre servidores] e fazer a questão da saúde dentro da Assembleia para termos menos casos de funcionários nossos com a Covid”, declarou.

A Assembleia não divulga os números, mas calcula-se que além do deputado Valmir Moretto (Republicanos) aproximadamente 30 servidores estejam reinfectados com o vírus. Entre os parlamentares, 14 já sofreram com a doença e o caso mais grave é de Valdir Barranco (PT), que está internado numa UTI de um hospital em São Paulo.

Mesmo com restrições e, oficialmente, fechada no período da tarde, o movimento de pessoas ainda é muito grande nos corredores e gabinetes da Assembleia. São comuns as fotos de reuniões com deputados e visitantes sem o uso de máscara de proteção. Também percebe-se o desrespeito às regras de distanciamento social.

A situação deve piorar antes do fechamento na quinta-feira em razão da eleição da União das Câmaras Municipais de Mato Grosso (UCMMAT), que será realizada em Cuiabá e que atrai muitos vereadores para a Capital. A presença dos vereadores é comum no parlamento estadual.

Só Notícias

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *