Oposição critica passeio de moto de Bolsonaro no Rio

Oposição critica passeio de moto de Bolsonaro no Rio

Membros de partidos de oposição criticaram o presidente Jair Bolsonaro por causar aglomeração em passeio de moto no Rio de Janeiro neste domingo (23.mai.2021).

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) disse, no Twitter, que o presidente “está colocando em risco a vida de milhões de brasileiros”. “Quanta gente vai morrer de covid depois desse absurdo? É muita irresponsabilidade, é muito desprezo pela vida alheia. Esse sujeito não é só um presidente ruim, é um ser humano péssimo”, declarou o congressista.

No sábado (22.mai), ele já havia chamado o ato de “criminoso”.

Gleisi Hoffmann, presidente do PT (Partido dos Trabalhadores) e deputada federal (PT-PR), afirmou que Bolsonaro “não se comove com a dor do outro”.

“Passeio de moto de Bolsonaro no Rio mobiliza mil policiais. Gasta dinheiro público e aglomera. Visitar hospitais, prestar solidariedade às vítimas da Covid e com quem passa fome, nada! Mas aí seria outro presidente né! Esse aí não se comove com a dor do outro”, publicou.

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) chegou a chamar o chefe do Executivo Federal de “bandido”.

“O que Bolsonaro e sua trupe comemoram hoje no Rio de Janeiro com ruas fechadas e passeio de moto? As quase 450 mil mortes? A fome? O desemprego? A alta no preço dos alimentos? A falta de vacina? Bandido!”, declarou.

Paulo Pimenta (PT-RS) usou a hashtag #MotoGenocídio para falar do evento, que também teve participação do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. “A milícia organizou direitinho o #MotoGenocídio no Rio de Janeiro. O cúmulo da desfaçatez desta gente é saudar Pazuello, uma espécie de Mengele de Bolsonaro, que a frente do MS nunca se preocupou em combater a pandemia que matou centenas de milhares de brasileiros”, disse.

Esse é o 2º ato político com motociclistas em menos de 1 mês. O 1º foi em Brasília, em 9 de maio, quando o presidente saiu de moto do Palácio da Alvorada por volta das 9h e percorreu ruas da capital federal acompanhado de centenas de apoiadores.

O encontro foi convocado por Bolsonaro nas redes sociais mesmo depois de a Superintendência de Vigilância Sanitária do Maranhão o autuar por aglomerações durante visita de dois dias ao Estado.

Fonte: poder360

Leia Mais:

vacina já - sisma-mt

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *