O caminho da Ditadura: Congresso pode deixar governadores na mão das forças policiais, alerta especialista

[faceturbo]

O Congresso Nacional se prepara para votar dois projetos de lei que limitam o poder de governadores sobre as forças policiais dos estados e do Distrito Federal, principalmente a Polícia Militar.

As propostas mudam a estrutura dos agentes de segurança pública, como a criação, na Polícia Militar da patente de general, que hoje é exclusiva das Forças Armadas e a constituição de um Conselho Nacional de Polícia Civil ligado à União.

Leia mais: Polícias sem controle de governadores abrem país para golpe, diz ex-militar

O texto também prevê que a destituição, por iniciativa do governador ou governadora, seja justificada e por motivo relevante devidamente comprovado e muda o processo de escolha dos comandantes das polícias.

Atualmente os cargos são decididos pelos governadores, que hoje detêm a prerrogativa sobre a segurança pública e são os chefes maiores da PM e da Polícia Civil. Mas os projetos propõem que a nomeação saia de uma lista tríplice indicada pelos oficiais.

O caminho da Ditadura bolsonarista

O projeto mais adiantado é o das PMs, no qual o relator é o deputado Capitão Augusto (PL-SP), líder da bancada da bala na Câmara. A oposição e especialistas alertam para o perigo dos projetos, como explica a deputada federal, Benedita da Silva (PT-RJ).

:: Gosto pelo poder mantém militares passivos a Bolsonaro, avalia cientista político ::

“Nós não podemos tirar a autonomia dos governadores que já não tem quase nenhum controle. Vamos repassar essa amplitude enorme para homens e mulheres armados? Para dar segurança para a população? Num país onde os negros estão morrendo e a juventude está sendo assassinada?”, questiona a parlamentar.

Este novo modelo é defendido pela base do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pode visar parte dos seus apoiadores. Em agosto do ano passado, uma pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública identificou que 41% dos policiais militares interagiam em ambientes virtuais bolsonaristas no Facebook  e que 25% deles compartilhavam ideias radicais.

CSB Denilson: se as PECs 300 e 446 tivessem sido aprovadas, não teria greve na BA e RJ – CSB

Para a cientista política, Beatriz Ribas (BH), estas alterações podem criar um “projeto de poder paralelo” e deixar governadores “nas mãos” dos comandantes.

“Boa parte dos governadores são contrários a essas proposições, porque limitam o poder dos governadores e aumenta a influência do governo federal sobre as forças policiais. São proposições que têm um alinhamento ideológico, isso é claro, com o governo federal. Sabemos que durante a campanha de 2018 a segurança pública foi um dos carros chefes da campanha de Jair Bolsonaro”, afirma a analista.

:: Policiais, milícia e poder paralelo: há uma operação por dentro da estrutura oficial ::

Para alguns policiais, o debate tem que ser ampliado para a valorização e mudanças nas bases das estruturas da segurança pública, como expõe Rafael Cavalcanti, do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco.

“Tanto o projeto de lei orgânica da Polícia Militar, quanto das Polícias Civis são muito ruins para a sociedade. Primeiro, não tratam a questão da desmilitarização como algo concreto, do ponto de vista da sociedade, e também não trata da valorização da base das polícias que é quem toca as investigações. Então, mantém uma elitização dentro das instituições e nos serviços prestados”, declara.

A expectativa é que os projetos sejam votados no Congresso ainda neste ano. Porém, o resultado das eleiçõe para a nova presidência das Casas em fevereiro pode definir o rumo das votações.

Brasil de Fato

Auxilie na divulgação das matérias e luta em prol do trabalhador colaborando com o site, você pode auxiliar na continuidade dessa luta!

projeto Colaborativo Se Liga Cidadão foi pensado e desenvolvido em defesa do trabalhador brasileiro, não sendo parte do projeto a veiculação de publicidade governamental para que o site não se torne subserviente a grupos, portanto sobrevive através de doações voluntárias onde os colaboradores (individual ou pequenos empresários) recebem sempre um bônus em troca de sua gentileza em auxiliar a manutenção do canal de comunicação, seja em créditos para adquirir produtos digitais na loja Espia Aqui (www.espiaaquiloja.com) ou descontos em cursos online na Espia Aqui Cursos (www.espiaaquicursos.com.br), para uso próprio ou de colaboradores das empresas parceiras.

Conheça Clicando Aqui!

Se Liga Cidadão – Em Defesa do Cidadão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *