‘Não podemos dividir o Brasil em momento difícil’, diz Pazuello ao criticar Doria – Brasil 247

[faceturbo]

'Não podemos dividir o Brasil em momento difícil', diz Pazuello ao criticar Doria

Em indireta ao governador Doria, que anunciou o início da vacinação no estado em São Paulo sem permissão do governo federal, Pazuello disse que o programa de imunização pertence ao Ministério da Saúde edit

8 de dezembro de 2020, 23:35 h Atualizado em 8 de dezembro de 2020, 23:35

Eduardo Pazuello e João Doria (Foto: Carolina Antunes/PR | GOVSP)

Siga o Brasil 247 no Google News
Siga o Brasil 247 no Google News
Assine a Newsletter 247
Assine a Newsletter 247

247 – Em pronunciamento, nesta terça-feira, 8, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, afirmou que compete ao governo a definição de um plano de imunização e que “não podemos dividir o Brasil”. O governo federal têm entrado em conflito com governadores por conta da vacina contra a Covid-19, como é o caso da relação com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Em indireta ao governador Doria, que anunciou o início da vacinação no estado em São Paulo sem permissão do governo federal, Pazuello disse que o programa de imunização pertence ao Ministério da Saúde.

“Compete ao MS realizar o planejamento e a vacinação em todo o Brasil. Por isso que o programa nacional de imunização é um programa do Ministério da Saúde. Não podemos dividir o Brasil no momento difícil em que todos nós passamos essas dificuldades”, disse.

“O Ministério da Saúde acompanha a evolução de imunizantes para a Covid-19, as vacinas, em passos acelerados, com total responsabilidade”, afirmou.

O ministro brigou com Doria em reunião com governadores sobre a falta de interesse do governo federal em relação à CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e produzida no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo.

O governo Bolsonaro está priorizando a Pfizer: “Estamos fechando a contratação, ainda na fase de memorando de entendimento, com a Pfizer. Pfizer que hoje já começa a vacinar, em caráter emergencial, alguns grupos na Inglaterra. Estamos atentos a tudo o que acontece no mundo. Assinamos uma carta de intenções, esse memorando de entendimento, garantindo mais 70 milhões de doses da Pfizer, já iniciando em janeiro de 21 o recebimento dessas doses”.

Ele destacou também a vacina da AstraZeneca: 

“São 142 milhões de doses de vacinas que serão produzidas pela Fiocruz, inicialmente recebendo partes da vacina já pronta da AstraZeneca e, em seguida produzindo, a partir do insumo farmacológico, com a transferência da tecnologia. Então, nós importamos a tecnologia da AstraZeneca, iniciamos com 100 milhões de doses no primeiro semestre e depois 160 milhões no segundo semestre, já com a tecnologia incorporada”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

[/faceturbo]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *