Ministério Público alerta governo sobre falta de oxigênio em Rondônia

O Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia covid-19 (Giac), do Ministério Público, enviou ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na noite dessa sexta-feira (19), ofício que pede providências para que não falte oxigênio em Rondônia. No documento o documento aponta que só haverá abastecimento até o dia 24 de março, quarta-feira.

O ofício é acompanhado de um e-mail da Cacoal Gases, que fornece oxigênio medicinal para 33 municípios e alguns hospitais da capital, Porto Velho. Segundo a Procuradoria da República no estado, a empresa informou que a quantia solicitada anteriormente ao Ministério da Saúde não será suficiente para atender a demanda e que, agora, serão necessários 160 mil metros cúbicos, além dos 80 mil metros cúbicos que a própria empresa garante fornecer.

Ainda de acordo com a empresa, a quantia de 5 mil metros cúbicos, transportada pela FAB nesta sexta, é muito aquém do que o estado necessita, sendo insuficiente para abastecer o município de Ariquemes. Segundo o ofício, “se nenhuma providência for tomada, dia 24 de março de 2021 o estado sofrerá com desabastecimento”. Devido à urgência, foi solicitado ao Ministério da Saúde que responda ao MPF até segunda-feira (22).

No último dia 12 de março, o Giac informou ao ministério da Saúde que o sistema de saúde estadual registrava 100% de ocupação de leitos de UTI com fila de espera de 137 pacientes, sendo 98 em estado grave. Na época, quatro municípios já tinham encaminhado à Secretária de Saúde de Rondônia alerta  informando que os estoques de oxigênio tinham capacidade para mais 15 dias de atendimento.

> Para evitar falta de oxigênio, Rondônia pede providências urgentes a Pazuello

Fonte: congressoemfoco

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *