Fase emergencial começa nesta 2ª feira em SP; saiba o que pode funcionar

A chamada “fase emergencial” do Plano São Paulo de combate ao coronavírus passa a valer nesta 2ª feira (15.mar.2021) em todo o Estado. As regras mais rígidas para circulação e funcionamento de serviços e comércios valem até 30 de março para tentar conter o avanço da covid-19.

Essa é uma nova classificação do plano, que excluiu alguns serviços essenciais autorizados na fase vermelha. Com isso, o governo de João Doria (PSDB) estima que mais 4 milhões de pessoas deixem de circular no Estado.

A retirada de produtos e alimentos em comércios, por exemplo, está proibida. A alternativa é adotar o delivey durante todo o dia.

Cultos e missas também estão proibidos. Doria tinha assinado um decreto que tornava as atividades religiosas essenciais. Mas, na fase emergencial, as pessoas só poderão frequentar igrejas de forma individual.

Outro setor que ficará aberto apenas para visitação são as escolas estaduais, municipais e da rede privada. Alunos poderão ir para as unidades apenas para recolher materiais educativos e para se alimentar.

Leia o que funciona ou não durante a fase emergencial em São Paulo:

Mesmo os comércios com permissão para continuar abertos terão que obedecer novas regras. É o caso dos supermercados, que precisam fechar às 20h. Esse é o horário em que começa o toque de recolher no Estado, que vai até 5h. O governo afirmou que a fiscalização para que a medida seja cumprida será constante, com agentes das polícias Civil e Militar. Desobedecer o toque de recolher, no entanto, não será punido com multa.

O aumento da fiscalização já começou neste fim de semana. Durante as operações, festas e eventos foram interrompidos. Entre eles, uma festa em um cassino que contava com a presença do jogador Gabigol, do Flamengo, e do cantor de funk MC Gui.

Até esse domingo (14.mar), o Estado de São Paulo tinha 2.203.983 casos de infecção pelo coronavírus e 64.123 mortes. Além disso, 88,4% dos leitos de UTIs (unidades de terapia intensiva) exclusivos para pacientes com covid-19 estavam ocupados, assim como 74,4% dos leitos de enfermaria.

Fonte: poder360

Leia Mais:

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *