Enfermeira proibida de conviver com filho na pandemia recupera guarda provisória

Enfermeira proibida de conviver com filho na pandemia recupera guarda provisória

[faceturbo]

Da Redação – Arthur Santos da Silva – Olhar Jurídico

Foto: Reprodução

A enfermeira de Cuiabá proibida de conviver com o filho durante a pandemia recuperou a guarda provisória. O menino de 7 anos já está com a mãe. Caso ganhou destaque nacional após ser divulgado pelo programa Fantástico, da TV Globo.

Leia também
Força Nacional ficará até 28 de fevereiro em terra indígena de MT para auxiliar no combate à pandemia

O caso, acompanhado pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e pelo Coren-MT, causou comoção nacional. A enfermeira R.K.S. agradeceu o respaldo dos Conselhos de Enfermagem. “Acho que foi fundamental para conseguirmos esta liminar”, afirmou.

Em nota, o Comitê Gestor da Crise do Cofen ressaltou a “competência dos profissionais de enfermagem para atuar de forma segura para si e para as pessoas que convivem com eles”.

Para o presidente do Cofen, Manoel Neri, o afastamento “desrespeitou todas as profissionais que atuam na linha de frente do combate à Covid-19, realizando um trabalho humanitário indispensável”.

Histórico 

Por atuar na linha de frente do combate à pandemia, a enfermeira enviou o menino para passar um período com o pai, que trabalha em casa, no Paraná. O pai não permitiu o retorno da criança e entrou com pedido de guarda, acatado liminarmente pela Vara de Família e Sucessões de Guaratuba (PR).

Controversa, a decisão acatava a tese de “fundado perigo de dano, sobretudo diante da profissão exercida pela genitora (enfermeira) e pelo fato da pandemia da covid-19 ainda não estar controlada em nenhum Estado da federação”.

[/faceturbo]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *