5 programas de inclusão de mulheres na tecnologia

Grandes conquistas da humanidade se deram graças a mulheres, porém sempre com o reconhecimento do homem.

Quando pensamos em grandes cientistas na história da ciência e tecnologia por exemplo, sempre nos deparamos com nomes masculinos, como do matemático e cientista da computação Alan Turing, o cofundador da Apple Steve Jobs, o presidente da Microsoft Bill Gates, entre outros.

Mas muitas das tecnologias que utilizamos hoje foram construídas por mulheres:

Primeiro algoritmo
A condessa e matemática Ada Lovelace ( Byron, 1815 –1852 ) foi a primeira mulher a criar o primeiro algoritmo para ser processado por uma máquina, a máquina analítica de Charles Babbage, sendo considerado o primeiro programa de computador já criado na história.

Wi-Fi e o Bluetooth
Hedy Lamarr (Viena, 1914 — 2000) foi uma atriz e inventora que possibilitou todas as tecnologias de comunicação sem fio que conhecemos. A invenção surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, quando a austríaca e um amigo também inventor criaram um aparelho de interferência de rádio que serviria para despistar radares nazistas.

O primeiro compilador
Grace Hopper foi uma analista de sistemas da Marinha dos Estados Unidos (Nova Iorque 1906 — 1992) e criou o primeiro compilador que levou ao desenvolvimento do Cobol. Hoje em dia o Cobol é utilizado em empresas tradicionais como bancos, seguradoras e redes de varejos.

As 3 mulheres cientistas que levaram o homem à lua
O primeiro voo espacial que levou o homem à Lua só decolou devido a programação das cientistas negras Katherine Johnson (White Sulphur Springs 1918 – 2020), Dorothy Vaughan (Kansas, 1910 — 2008), e Mary Jackson (Hampton, 1921 — 2005)
Essa história até inspirou um filme chamado “Estrelas Além do Tempo”.

Google Adwords, Gmail, Maps entre outros
A cientista da computação Marissa Mayer (Wausau,1975) ajudou no desenvolvimento de diversas ferramentas que utilizamos no Google como: Google Maps, Google Images, Google Books e principalmente no desenvolvimento de Google AdWords.

Apesar disso, nós mulheres somos minoria na área da tecnologia, representamos apenas 20%, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda enfrentamos muitos obstáculos, como desigualdade salarial, abuso ou assédio, falta de oportunidade e muitas outras situações no mercado de trabalho tecnológico.

Um estudo feito por Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) no Estado de São Paulo mostra que a mulheres no setor de TI (tecnologia da informação) recebem 30,4% a menos que os homens em média.

Sexismo
No Reino Unido a organização EveryWoman e a Revista Marie Claire realizaram um estudo, onde 46% das entrevistadas afirmaram já terem passado por um caso de sexismo (termo que define o preconceito de gênero).

Perante isso, é natural que meninas e mulheres sintam-se desencorajadas em direcionar seus esforços para o aprendizado de carreiras atreladas à tecnologia.

É preciso quebrar esse estereótipo engessado e machista que ainda existe na área de tecnologia e incluir, capacitar mais mulheres. Nós revolucionamos o mundo da tecnologia, ainda assim há muito o que se fazer para que a área deixe de ser dominada pelos homens.

Existe uma influência de uma cultura ultrapassada, que dita equivocadamente o é profissão de mulher ou homem. Isso vem desde a nossa infância, onde os meninos são estimulados a brincadeiras que desafiam mais a lógica, mas isso felizmente vem mudando.

Durante muito tempo as mulheres e outros grupos de minorias foram privades de estudar, entre outras coisas básicas, isso deixou marcas que precisam ser reparadas. Por isso é muito urgente e necessário a nossa luta por equidade de gênero e inclusão. Para mudar esse cenário, mulheres incríveis criaram projetos, incentivando, inspirando e preparando muitas manas para área tech.

Conheça 5 projetos que empoderam mulheres na tecnologia:

InfoPreta

A empresa de manutenção de computadores Infopreta tem o objetivo de inserir pessoas pretas, LGBTQI+  e mulheres no mercado de tecnologia.

A infoPreta alia a geração de lucros com projetos sociais de grande impacto, como o projeto Notes Solidários da Preta, que tem como objetivo doar, sem custo algum ao beneficiado, notebooks que estão em bom estado para estudantes que estão cursando o ensino superior

Site: https://infopreta.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/InfoPreta

Divulgação: Infopreta

PrograMaria

A Programaria tem o objetivo de estimular mulheres a explorar os campos da tecnologia, programação e empreendedorismo, debater a falta de mulheres nesse mercado e promover ferramentas para o aprendizado da programação.

Site: https://www.programaria.org/
Facebook: https://www.facebook.com/programaria

Iana Chann em PrograMaria

Elas programam

Elas Programam foi criado pela engenheira Silvia Coelho para incluir mais mulheres no mercado de tecnologia, promovendo diversidade e equidade de gênero nas organizações.

https://elasprogramam.com.br/
https://www.facebook.com/groups/elasprogramam
https://dev.to/elasprogramam

Minas Programam

O Minas Programam Promove oportunidades de aprendizado sobre programação para meninas e mulheres, priorizando àquelas que são negras ou indígenas.

https://minasprogramam.com/
ttps://www.facebook.com/minasprograma

RePrograma

A {reprograma} é uma iniciativa de impacto social que foca em ensinar programação para mulheres cis e trans que não têm recursos e/ou oportunidades para aprender a programar.

https://www.reprograma.com.br/
https://www.facebook.com/ReprogramaBr

Vamos compartilhar nosso conhecimento, divulgar esses projetos e incentivar mais mulheres, LGBTQI+, indígenas, e pessoas pretas, para uma sociedade mais rica, justa e igualitária.

Mostre esses projetos para aquela mana que esta pensando em migrar para área tech, ou aquela amiga que esta tentando criar coragem de estudar. Nossa luta continua.

Mídia NINJA

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *